Notícias | Prefeitura Municipal de Umuarama

Notícia

Notícia

Palestra na Prefeitura vai abordar os mitos que envolvem os cuidados com a saúde do homem

Compartilhar:
23 de nov de 2022 Saúde
Imagem Palestra na Prefeitura vai abordar os mitos que envolvem os cuidados com a saúde do homem
Palestra na Prefeitura vai abordar os mitos que envolvem os cuidados com a saúde do homem

A programação da Secretaria Municipal de Saúde de Umuarama relacionada ao Novembro Azul apresenta nesta quinta-feira (24), uma palestra com o urologista, professor e cirurgião robótico Dr. Alberto Santiago Mendes Tomé, um dos maiores especialistas do Estado. Ele vai abordar o tema “Mitos quem envolvem os cuidados com a saúde do homem” a partir das 8h no Anfiteatro Haruyo Setogutte aos servidores municipais.

Ele comenta que o câncer de próstata é o tipo mais comum entre a população masculina, representando 29% dos diagnósticos da doença no País. “Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) apontam para 65.840 novos casos de câncer de próstata a cada ano, entre 2020 e 2022. Homens com mais de 55 anos, com excesso de peso e obesidade, estão mais propensos à doença”, explica.

O médico desta que, em contrapartida, a chance de cura da doença chega a 90% caso o tumor seja diagnosticado logo no início. “Por isso é fundamental a realização de exames preventivos, pois nos estágios iniciais, a doença não manifesta sintomas e o rastreio é uma importante estratégia para um tratamento bem-sucedido. A campanha Novembro Azul é importantíssima por ter esse objetivo de conscientizar a população e quebrar mitos que envolvem o cuidado com a saúde do homem”, indica.

O urologista comenta ainda que, diferente das mulheres, os homens são mais relaxados com a própria saúde. “E quando o tema é o câncer de próstata, alguns mitos que envolvem o exame físico afastam muitos deles do consultório. Isso é muito prejudicial. A desinformação pode custar uma vida”, lamenta, acrescentando que outro ponto em relação à saúde do homem envolve o câncer de pênis que, em alguns casos, resulta na amputação do órgão. “A estimativa do INCA é que ocorram 1.130 novos casos da doença neste ano. Os principais fatores de risco são higiene íntima inadequada e infecção por HIV”, finaliza.