Notícias | Prefeitura Municipal de Umuarama

Notícia

Notícia

Levantamento aponta baixo índice de infestação predial pelo mosquito da dengue

Compartilhar:
14 de jan de 2022 Covisa
Imagem Levantamento aponta baixo índice de infestação predial pelo mosquito da dengue
Levantamento aponta baixo índice de infestação predial pelo mosquito da dengue

Enquanto as atenções se voltam ao aumento dos casos de covid-19, elevando as preocupações da população e alertando para a importância dos cuidados, uma boa notícia chega do setor de saúde: o índice de infestação predial (IIP) pelo mosquito transmissor da dengue em Umuarama ficou abaixo de 1%, de acordo com o primeiro Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (Liraa) realizado nesta semana pela equipe do Serviço de Vigilância em Saúde Ambiental. A presença de larvas do mosquito em até 1% das casas visitadas é um percentual considerado aceitável pelos organismos de saúde pública.

No levantamento, realizado entre os dias 10 a 13 de janeiro, em 2.165 imóveis residenciais e comerciais, o índice geral de Umuarama ficou em 0,7% – considerado de baixo risco. Em 10 das 18 regiões que sediam unidades básicas de saúde não foram encontradas larvas (índice zero). Em seis UBS a infestação ficou entre 0,4% e 1,6% e apenas em duas unidades o índice foi mais elevado: 2,6% no Primeiro de Maio e 3% no Jardim Panorama.

Para uma análise mais apurada, a área urbana de Umuarama é dividida em 62 localidades. Em 53 desses pontos, referenciados por escolas, bairros, igrejas, praças e logradouros como Centro Cívico e Rodoviária, não foram encontradas larvadas do mosquito da dengue. Já em nove pontos o índice de infestação variou de 1,6% a 9,1% – caso da região do Colégio Monteiro Lobato. Também houve altos índices na Igreja São Paulo e Jardim Colorado (8%), Jardim Verde Vale (5,5%) e Praça dos Xetá (5,3%).

Como as chuvas voltaram a ocorrer depois de um longo período de estiagem, embora em pancadas isoladas, o momento é de aumentar os cuidados. “O clima está quente e as chuvas estão acontecendo, por isso é importante fazer aquela vistoria no quintal e eliminar quaisquer recipientes que possam acumular água parada, como baldes, tinas, pneus, latinhas, brinquedos velhos e materiais recicláveis. Tudo deve ser bem armazenado e protegido da chuva”, alerta o chefe da Vigilância Ambiental, Carlos Roberto da Silva.

Conforme o último boletim de acompanhamento, são 21 os casos de dengue acumulados desde o início do período sazonal da doença – 17 autóctones (contraídos na cidade) e quatro importados. Sete suspeitas estão em investigação, aguardando exames, e 190 foram descartadas do total de 218 notificações registradas desde agosto passado. Não houve casos graves nem mortes. A Secretaria de Saúde orienta à população que reforce os cuidados para eliminar focos e evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue.