Notícias | Prefeitura Municipal de Umuarama

Notícia

Notícia

Saúde vai instalar ambulatório para tratar casos suspeitos de dengue

Compartilhar:
14 de fev de 2020 Saúde
Imagem Saúde vai instalar ambulatório para tratar casos suspeitos de dengue
Saúde vai instalar ambulatório para tratar casos suspeitos de dengue

A Secretaria Municipal da Saúde está estruturando um centro para atendimento a agravos que deve concentrar a atenção aos pacientes com suspeita de dengue em Umuarama. De acordo com a secretária da Saúde, Cecília Cividini, o ambulatório funcionará todos os dias da semana – de segunda a domingo –, das 7h às 21h. Na tarde desta sexta-feira, a cidade contava com 446 casos confirmados e 77 suspeitas em investigação – outros 385 casos suspeitos foram descartados.

“O número de casos está aumentando de forma significativa. Já estamos em situação de epidemia e os pacientes de dengue estão elevando o fluxo nas unidades de saúde e no Pronto Atendimento 24h Dr. Cândido Garcia. A ideia é que as suspeitas de dengue sejam tratadas nesse ambulatório, que vai funcionar na Avenida Rio Branco, ao lado do Centro Cultural Vera Schubert”, informou a secretária.

A previsão é que o funcionamento seja iniciado na próxima semana, com a possibilidade de atender inclusive durante o carnaval. O objetivo é padronizar os procedimentos e ampliar o atendimento. “Os pacientes que apresentarem sintomas de dengue deverão se deslocar diretamente ao ambulatório, onde a equipe estará pronta para atender e realizar os exames necessários para confirmar ou descartar a suspeita”, acrescentou Cecília.

O prefeito Celso Pozzobom aprovou a instalação do ambulatório e disse que o enfrentamento à dengue deve ser feito em todas as frentes. “Temos de tratar os doentes, intensificar os bloqueios para evitar que a doença atinga familiares e vizinhos e concentrar esforços na prevenção, mantendo nossos quintais limpos e livres de focos do mosquito transmissor. Por isso temos de bater na mesma tecla: não deixe recipientes com água parada em casa, em hipótese alguma”, recomendou.

SAIBA MAIS

A dengue é uma doença febril grave causada por um vírus transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti. Existem quatro tipos de vírus e a partir da segunda infecção o quadro de saúde do paciente pode se agravar perigosamente. Os principais sintomas são febre alta (acima de 38.5ºC), dores musculares intensas, dor ao movimentar os olhos, mal estar, falta de apetite, dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo. No entanto, a infecção por dengue pode ser assintomática (sem sintomas), leve ou grave.

Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Em alguns casos também apresenta manchas vermelhas na pele.

A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes e sangramento de mucosas. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados, todos oferecidos de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

ALERTA

São sinais de alarme da dengue a dor abdominal intensa e contínua, ou dor à palpação do abdome; vômitos persistentes; acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural, derrame pericárdico); sangramento de mucosa ou outra hemorragia; aumento progressivo do hematócrito e queda abrupta das plaquetas.

A dengue é transmitida pela picada do Aedes aegypti. Após picar uma pessoa infectada com um dos quatro tipos, a fêmea pode transmitir o vírus para outras pessoas. Por isso, é importante combater o mosquito da dengue fazendo limpeza adequada e não deixando água parada em pneus, vasos de plantas, garrafas ou outros recipientes que possam servir para a reprodução do mosquito.

Em populações vulneráveis, como crianças e idosos com mais de 65 anos, o vírus da dengue pode interagir com doenças pré-existentes e levar ao quadro grave ou gerar maiores complicações nas condições clínicas de saúde da pessoa.